La Cumparsita
terça-feira, 26 de janeiro de 2010 | Opine aqui
O tango, ele fazia com que eu me sentisse bem, me sentisse "gente" novamente, ou como eu nunca fui, o tango que não saia da minha cabeça. Dançar coma dama uma Cumparsita bem ensaiada, ou qualquer uma do Carlos Gardel que a agradasse. Algo também me satisfizesse.
Masmo sendo eu um velho, cansado, podia dançar melhor que muito jovem por aí, podia aprender passos complexos da hora e mostrar para a dama comos e faz. Podia sentir as luvas vermelhas dela em minhas costas, ver o seu vestido vermelho bem justo no corpo e isso é que me fazia sentir bem, fosse coma minha mulher, fosse com qualquer uma, dançar o tango me fazia ser alguém, brilhar.
Dançar e fazer todos os outros ficarem invejosos da minha desenvoltura, fazer todos eles olharem estarrecidos para eu, um velho qualquer mostrando que era melhor na dança do que qualquer um naquela sala. Tendo como para a solidão, a melhor das damas.
Com o vestido vermelho mais bonito de todos.
A solidão que sempre me acompanha, mesmo eu estando acompanhado de outros, sou só po opção, danço só coma a solidão desde que minha esposa partiu, ela era a razão de eu ainda querer alguma coisa e já não quero mais.
Quero só dançar La Cumparsita de mãos dadas com a solidão.


Maybe This Time
sábado, 16 de janeiro de 2010 | Opine aqui
Eu sinto falta. pode escrever aí: eu sinto falta. Eu sinto falta de tudo que eu e ela passamos juntos, de todas as noites que dormimos juntos. Eu sinto falta de tudo.
Até das brigas.
Pode escrever aí também que eu choro, às vezes, no silêncio da noite, no escuro do quarto. Eu choro. E isso faz bem para mim, faz bem para minha alma.
Chorar me alivia o peito.
E, fazer o que? Eu ainda a amo, isso é verdade, é verdade sim. Sem meias mentiras ou falsos sorrisos. Eu a amo chorando, no escuro do quarto, eu a amo relembrando tudo.
Eu a amo.
E será que seria inútil escrever aí que eu espero por ela? Será que seria inútil escrever aí que a amo? Seria inútil querer demonstrar o que nunca demonstrei?
Então escreva aí, porque não sei como, sem deixar cair lágrimas, escreva aí: "Eu espero por você, por tudo que tinha de bom, eu espero por um sorriso. Eu te amo e não sei parar de fazer isto.
Eu lhe amo"


Seja o que for
"Onde queres o ato, eu sou o espírito e onde queres ternura, eu sou tesão. Onde queres o livre, decassílabo e onde buscas o anjo, sou mulher. Onde queres prazer, sou o que dói e onde queres tortura, mansidão. Onde queres um lar, revolução e onde queres bandido, sou herói" Caetano

O blog
Para Jéssica,
porque "o que obviamente não presta
sempre me interessou".

Arquivo
Outubro 2008; Novembro 2008; Dezembro 2008; Janeiro 2009; Fevereiro 2009; Março 2009; Abril 2009; Maio 2009; Junho 2009; Julho 2009; Agosto 2009; Setembro 2009; Outubro 2009; Novembro 2009; Dezembro 2009; Janeiro 2010; Fevereiro 2010; Março 2010; Abril 2010; Maio 2010; Junho 2010; Julho 2010; Agosto 2010; Setembro 2010; Outubro 2010; Dezembro 2010; Março 2011; Abril 2011; Maio 2011; Junho 2011; Julho 2011; Agosto 2011; Outubro 2011; Novembro 2011; Março 2012; Maio 2012; Agosto 2012; Outubro 2012; Dezembro 2012; Abril 2013; Maio 2013;

Soneto de Fidelidade

"De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure."